sexta-feira, 1 de agosto de 2014

"Carpe Diem"


A beleza e a felicidade são passageiras, assim como breve é nossa existência. Estamos vivendo num tempo materialista, o capitalismo engolindo a sociedade. As pessoas estão cada vez mais preocupadas em adquirir bens. Vivemos na era do “ter” e não do “ser”. Hoje temos muitos aparelhos eletrônicos e conhecidos virtuais, poucos vão ao cinema, as crianças não brincam mais de carrinho de rolimã. Eles têm videogames e jogos eletrônicos de ultima geração. A morte é tão “comum” nos jogos que penso chegar ao dia que ao perdemos amigo acharemos que ele tem “vidas” reserva.
A concepção de vida apresentada por Horácio é uma vida moderada, equilibrada, comedida, pois; o envelhecimento do corpo não tardará, até que por fim o vigor se perca, se deteriorem os sentidos e chegue a morte, a única coisa certa. É em vão que procuremos descobrir os segredos do universo, de balde tentamos resguardar da fúria da natureza, da fúria das catástrofes, em vão viajamos pelo mundo desvendando os segredos das civilizações antigas, fazendo planos. Ainda que todos os dias se ofereçam sacrifício aos deuses, quer sejamos pobres ou ricos, todos haveremos de transpor esse mundo.
Os bens que possuímos passarão aos herdeiros que desfrutarão do fruto do trabalho de toda nossa lida, Tudo aqui ficará. Sozinhos nós viemos ao mundo, sozinhos voltaremos ao pó. Portanto nos preocupemos em aproveitar o dia “Carpe Diem”, desfrutar a vida, cuidemos principalmente de nossa alma que independe do materialismo que sorrateiramente vai matando nossa humanidade.

Sylvia R.S. Feitosa
Postar um comentário